Liberdade, Igualdade e Fraternidade

SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Conceito. 3. Considerações Iniciais. 4. Liberdade, Igualdade e Fraternidade: 4.1. Liberdade; 4.2. Igualdade; 4.3. Fraternidade. 5. Aspectos Políticos e Econômicos: 5.1. Modo e Relação; 5.2. Liberdade e Igualdade são os Fundamentos da Democracia; 5.3. Individualismo e Lutas de Classes. 6. Liberdade, Igualdade e Fraternidade na Ótica Espírita: 6.1. Egoísmo e Orgulho; 6.2. A liberdade e a Igualdade Dependem da Fraternidade. 6.3. O ideal Evangélico. 7. Conclusão. 8. Bibliografia Consultada.

1. Introdução  

O que é liberdade? O que é igualdade? O que é fraternidade? De onde vem o slogan “liberdade, igualdade e fraternidade”? Dentre os três termos, qual é o mais importante? Igualdade e liberdade têm ênfase política? A ênfase da fraternidade é religiosa?  

2. Conceito 

Liberdade. Do inglês freedon, refere-se ao princípio interno de escolha e de ação; do inglês liberty, refere-se à ausência de coação externa.  

Igualdade. Na ética e na política, há igualdade quando os direitos e os deveres, as prescrições e as penas são iguais para todos os cidadãos. 

Fraternidade. Etimologicamente, significa "irmandade" ou "conjunto de irmãos". Em sentido estrito, exprime simplesmente o sentimento de afeição recíproca entre irmãos. Em termos práticos, devotamento, abnegação, tolerância, benevolência. 

3. Considerações Iniciais 

O slogan “liberdade, igualdade, fraternidade” é a divisa do Estado francês, adotada em 1793, como expressão dos princípios da Revolução Francesa.  

A sustentação dessa noção teve altos e baixos.  

Em 1814, depois da queda de Napoleão, a divisa deixou de ser adotada, voltou a sê-lo em 1848-1851, para de novo deixar de o ser durante o II Império, e renascer em 1875, sofrendo novo apagamento de 1940 a 1944. 

Este tríplice aspecto deve ser visto como um ideal a atingir, uma meta, uma imaginação, não a coisa em si.  

4. Liberdade, Igualdade e Fraternidade

4.1. Liberdade  

A palavra liberdade presta-se a  muitos significados. Falamos de liberdade  política, de liberdade econômica e de liberdade de consciência. A liberdade em Cuba é diferente da liberdade nos Estados Unidos. O termo comporta, também, limitações psicológicas, legais e  econômicas. Suponhamos a seguinte situação: ir aos Estados Unidos. Sentido psicológico: estou disposto a me deslocar para aquele país?; sentido legal: o governo  americano  permite a minha estada?; sentido  econômico: conseguido  o visto de entrada, tenho recursos  financeiros  para tal empreendimento? 

4.2. Igualdade 

A igualdade é uma das aspirações mais autênticas e profundas da democracia. O projeto de igualdade democrática baseia-se no princípio de que todos os homens são iguais em  sua dignidade essencial,  porém, diferentes em suas capacidades e talentos. Quer dizer, todos devemos ter oportunidade de  trabalho remunerado, mas de acordo com a característica específica de cada um. 

4.3. Fraternidade 

Na Antiguidade merecem especial referência o Confucionismo e o Estoicismo: Sêneca dizia que "A natureza fez de nós uma família" e Marco Aurélio que "O universo é como uma cidade". Os ideais da Revolução Francesa - Liberdade, Igualdade e Fraternidade - nada mais são do que a laicização de uma ideia-força tipicamente cristã. Na sua pessoa, doutrina e ação, Jesus Cristo veio revelar e tornar possível a fraternidade num grau insustentável: nele foi dado a conhecer aos homens serem eles chamados a uma verdadeira e sublime fraternidade, a de filhos do mesmo Pai celeste.

5. Aspectos Políticos e Econômicos

5.1. Modo e relação  

Liberdade indica um estado; igualdade, uma relação, porque entende o ser humano como pessoa. Em termos políticos, a igualdade é frequentemente substituída pela Justiça e, nesse sentido, a justiça precede a liberdade. Acrescenta-se que os homens preferem ser livres e não escravos, ser tratados de modo justo e não injustamente. Lembremo-nos de que a sociedade de livres e iguais é um estado hipotético.  

5.2. Liberdade e Igualdade são os fundamentos da Democracia 

A democracia não é uma sociedade de seres humanos livres e iguais. Contudo, não há outra forma de governo em que os seres humanos são mais livres iguais do que neste. É pelo sufrágio universal que os cidadãos de um Estado democrático se tornam mais livres e mais iguais. Observe que quando dizemos que um sujeito é livre esta proposição é dotado de sentido. Dizer que uma pessoa é igual não tem sentido. Há necessidade de comparação: com quem? Em relação a quem? (Bobbio, 1996)

5.3. Individualismo e lutas de classes  

Questão: os homens são lobos ou irmãos em seus relacionamentos? A base do pensamento individualista moderno é constituída pela concepção de que o homem é lobo do homem. Nesse sentido, a vida é regida pela competição em que os mais aptos devem triunfar.  

O pensamento marxista desenvolve-se nessa mesma linha com a diferença de que já não fala dos indivíduos na luta pelos bens sociais, mas sim de classes sociais. Neste caso, uma classe social fica sendo o lobo da outra classe social. Por isso, a luta entre o proletariado e o capitalista. (Idígoras, 1983)

6. Liberdade, Igualdade e Fraternidade na Ótica Espírita 

6.1. Egoísmo e orgulho

O egoísmo e o orgulho são os dois grandes obstáculos para a realização do ideal deste slogan. Enquanto a fraternidade diz: “um por todos e todos por um”, o egoísmo diz: “Cada um por si”. O orgulho quer que todos estejam sob seu mando, sua tutela. Resumindo: o egoísmo quer tudo para si; o orgulho quer tudo dominar. Como dariam mão à liberdade que os destronaria?

6.2. A liberdade e a igualdade dependem da fraternidade 

A liberdade sem fraternidade é rédea solta; com a fraternidade, conduz à ordem. A igualdade sem a fraternidade conduz aos mesmos resultados, pois o pequeno rebaixa o grande para lhe tomar o lugar. Depois, torna-se tirano por sua vez. (Kardec, 1975)

6.3. O ideal evangélico 

O ideal evangélico é o único que pode cercear o egoísmo e o orgulho e conduzir a fraternidade na sua real acepção, que é o amor incondicional por todos os habitantes do planeta Terra. Não é só a sua família que merece consideração, mas todos os seres do mundo.  

7. Conclusão

A fraternidade, a luta serena da implantação do ideal evangélico, é o fundamento básico, pois todo aquele que entrar em contato com os ensinamentos de Cristo, saberá defender a doutrina do Mestre para se tornar um verdadeiro cristão.

8. Bibliografia Consultada

BOBBIO, Norberto. Igualdade e Liberdade. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996.

IDÍGORAS, J. L. Vocabulário Teológico para a América Latina. São Paulo: Paulinas, 1983.

KARDEC, A. Obras Póstumas. Tradução de Guillon Ribeiro. 15.ed., Rio de Janeiro: FEB, 1975. 

São Paulo, maio de 2015.

 

Copyright © 2010 por Sérgio Biagi Gregório
Blogs e Sites do Autor